FOREVER

FOREVER
REVELANDO UMA BELEZA ESTONTEANTE NO BBB10 E COM UM CARISMA APAIXONANTE,KADU...PRA VC SE APAIXONAR.

É O CARA MAIS GENTE BOA Q EU JÁ VÍ EM TODA A HISTÓRIA DO BBB DESDE O BAM BAM... É APAIXONANTE.

[s2.jpg]

PARA ME ,O MAIS BELO...POIS ESTOU NA TORCIDA PARA ELE VENCER.

[s1.jpg]

domingo, 3 de outubro de 2010

 Novo curta gay americano é romântico, sofisticado e pornográfico; Assista 
    Por Lufe Steffen 30/8/2010 - 12:58

Cada vez mais o cinema se atreve a cruzar as fronteiras entre o erótico e o pornográfico. Desde os primórdios da sétima arte, já se usava o erotismo como combustível - uma prática, aliás, herdada da fotografia. A nudez parcial ou total sempre surgiu na arte fotográfica e posteriormente na cinematográfica. Esta, com a vantagem de ter a imagem em movimento, mostrou aquilo que todo mundo queria ver: relações sexuais.

E todo mundo continua querendo ver. Com o desenvolvimento da indústria pornô, que passou da vintage estética artística das décadas de 60 e 70 à banalidade, vulgaridade e muitas vezes decepcionante produção dos anos 80, 90 e 2000, a pornografia passou a ser rotulada como algo necessariamente pejorativo.

Como reação a esse rótulo negativo, o cinema não-pornô, o cinema de ficção, vem resgatar a verdadeira beleza e sensualidade da pornografia. Ela passa a ser inserida no contexto de uma história, no meio de um filme "normal". Mas não se trata de deixar a relação sexual implícita. Isso já se faz desde a década de 60, gerando grandes cenas eróticas em filmes como "Atração Fatal" (87), "Instinto Selvagem" (92), "O Nome da Rosa" (86), e por aí afora - os exemplos são milhares.

Agora o diferencial é dar um passo além: mostrar os atores em verdadeira atividade sexual, com os órgãos sexuais e mucosas gerais em ação, sem disfarce. E sem colocar as terríveis musiquinhas ambientais dos vídeos pornôs, sem a orquestração de gemidos e frases como "Oh Yeah! Fuck Me, That's It, I'm Cumming!", e sem os rostos grotescos que os atores pornôs costumam fazer na hora da cena.

Experiências do tipo foram realizadas com sucesso nos filmes héteros "Romance" (99, de Catherine Breillat, estrelado pelo astro pornô italiano Rocco Siffredi) e "Intimidade" (01). Mas o grande feito foi realizado por John Cameron Mitchell em "Shortbus" (06), numa verdadeira babel de cenas pornôs com gays, héteros, lésbicas, com sexo grupal e tudo o mais.

Seguindo os passos de "Shortbus", chega agora o curta norte-americano "I Want Your Love". Dirigido por Travis Matthews, o filme mostra dois amigos discutindo as possibilidades de experimentarem juntos uma relação sexual para ver o que acontece.

E o que acontece é de cair o queixo: os dois transam, em uma sequência bem dirigida, com uma fotografia incrível e muita intensidade entre os atores. O curta é uma produção independente que funciona como um esboço para o longa-metragem que Travis pretende dirigir, também batizado de "I Want Your Love". O longa irá explorar com mais tempo e detalhes a relação amizade-amor-sexo dos dois amigos, interpretados no curta por Brenden Gregory e Jesse Metzger.

Assista o filme no site da produtora Naked Sword.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário